Hoje em dia, é muito comum as pessoas se queixarem de estresse. Nossa rotina cada vez mais agitada, nossos esforços mentais e físicos, tornou o estresse o principal problema das pessoas do século XXI. Você sabia que as crianças também podem sofrer desse mal? Geralmente, os pais não sabem reconhecer que seu filho está estressado e acham que a criança é malcriada ou birrenta. Se para nós adultos já é difícil lidar com as conturbações do dia a dia, imagine para uma criança que mal sabe pelo o que ela está passando.

É nesse contexto que a IDMP resolveu criar para você pai, mãe, tio, avó, todos os parentes, para alertar e identificar se sua criança está sofrendo de estresse. Vamos descobrir?

Causas do estresse infantil

As causas podem ser muitas, como por exemplo, se os pais cobram demais de seus filhos para tirarem boas notas, irem bem nos esportes, etc, essa pressão pode fazer com que ele fique muito tenso e acabe ficando estressado. Veja abaixo algumas causas:
• Brigas e divórcio
• Bullying
• Morte de um ente querido
• Superproteção dos pais
• Mudança drástica como mudança de escola ou cidade
• Agressão física

Sintomas

Existem sintomas físicos e sintomas psicológicos, na maioria dos casos as crianças possuem os dois, são eles:

Sintomas físicos

• Dor de cabeça
• Náuseas
• Diarreia
• Hiperatividade
• Transtorno Obsessivo Compulsivo (toc)
• Gagueira

Sintomas psicológicos

• Impaciência
• Agressividade
• Insegurança
• Irritabilidade
• Medo
• Pesadelos

Tratamento

Primeiro é necessário identificar se a criança realmente está sofrendo de estresse, um psicólogo adequado pode identificar. Caso seja por pressões dos pais, diminua a pressão que ele está passando, não cobre tanto, não superproteja seu filho, ele deve crescer e aprender a desenvolver situações de estresse ao longo da vida. Quando não for por ações dos pais como morte, bullying, entre outros, é necessário conversar com a criança para fortalecê-la a lidar com cada situação, o acompanhamento de um psicólogo para ajudar no desenvolvimento da criança também é indicado.

Fique atento ao comportamento de seu filho, um estresse acarretado na infância traz muito problemas na vida adulta como obesidade, problemas digestórios, problemas psicológicos, diabetes, além de se transformar em um adulto vulnerável ao estresse. Lembra quando de quando você era criança e imaginava sua vida quando fosse mais velho, o adulto que gostaria de se tornar? Então! Seja para o seu filho o adulto que você gostaria de ser quando era criança.

Obs: nenhum dos sintomas caracterizam o estresse quando aparecem isoladamente, porém caso seu filho tenha mais de 1 sintoma, contate um psicólogo.